segunda-feira, 31 de dezembro de 2012

TOP FIVE - DEZEMBRO



25/04/2012, 4 comentários


01/12/2011, 2 comentários


02/12/2012, 2 comentários


10/12/2012, 3 comentários

segunda-feira, 10 de dezembro de 2012

O mundo vai acabar?



Tenho ouvido uma quantidade enorme de comentários a respeito do fim do mundo, e por me interessar pelo tema, muitas pessoas acreditam que eu tenha a resposta, para concluir se o mundo acabará ou não. Com toda a sinceridade, eu não faço a menor idéia se isso vai acontecer. Eu penso que é possível que aconteça algum dia, porém honestamente eu não me preocupo com isso; me preocupo com o pensamento de algumas pessoas, e começo agora a dividir a minha reflexão com vocês.

Eu sei que quando se pensa em fim do mundo, até em programas de televisão, o que mais se vê?

Pessoas querendo correr contra o tempo, aproveitando tudo que nunca viveram, e resumidamente, fazendo um bando de besteira. Não era bem a palavra besteira que eu iria usar, masss...enfim, "aproveitar" os últimos dias para boa parte da população, é encher a cara de bebida alcoólica, arriscar a própria vida, afinal, vamos todos morrer né?! Fazer bacanal, viver os últimos dias de forma irresponsável, gastar o que tem e o que não tem, e especialmente, pensar ÚNICA E EXCLUSIVAMENTE EM SI MESMO. Falta de crença, de valores, falta de fé propriamente, além de um egoísmo assustador.  

Primeiramente, acreditar que o mundo um dia pode acabar, me faz ter um pouco mais de responsabilidade e pensar um pouco mais em não só aproveitar, como em evoluir enquanto ser humano. É normal sermos preguiçosos em nosso dia a dia, principalmente quando pensamos em ajudar o próximo, por exemplo. Quantas vezes vejo pessoas que dizem, "ah, eu quero visitar um orfanato, um asilo de velhinhos, fazer o bem"; mas aí imaginam que ainda tem tanto tempo pela frente, que isso pode esperar mais uns 6 meses, e quando passarem os 6 meses, dá para esperar mais 1 ano. E assim vai, adiamentos e mais adiamentos, sempre deixando o tempo correr.

Mas pergunta que não quer calar: vocês já pararam pra pensar que a morte não manda avisos?

Amanhã o mundo pode continuar normalmente, mas o seu mundo, a sua vida, pode ser que acabe. Podemos estar vivendo nosso último mês, nossa última semana, nossos últimos dias, últimas horas, minutos. É uma das únicas certezas que temos na vida, um dia iremos morrer. Eu não penso a morte como o fim de tudo, a morte pode ser apenas um começo. Não posso garantir à vocês que existe uma vida após a morte, posso dizer que eu creio nisso; seja lá quando for que eu estiver vivendo meus últimos momentos, não vou pensar em chutar o balde, e sim em curtir a felicidade existente nas pequenas coisas.

Nessas horas eu agradeço por tudo que eu tenho, e que um dia eu já tive. Valorizo cada momento, cada gesto, cada ação. Tomo café em minha caneca, sinto o gosto, aprecio aquele momento ; sorrio para as pessoas que convivem comigo, pois não quero dar entrada para o mau humor; abro a janela do quarto, deixando o vento bater no meu rosto; não dou tanta importância à pessoas que me querem mal e ficam me provocando em busca de confusão, pois nada disso vale a pena, se você imagina que o fim pode estar próximo. Assim, acabo vivendo cada dia como se fosse o último, mas sem melancolia, tristeza ou dor; pelo contrário, aproveito tudo que a vida me oferece ao máximo, pois por ter tido isso sempre, acabava não dando valor, e agora valorizo cada pequeno detalhe.

Se um dia o mundo ou o meu mundo acabar meus amigos, vou partir com a sensação de dever cumprido, com o coração cheio de amor...

domingo, 2 de dezembro de 2012

Ainda temos tempo!

Ainda temos tempo de aproveitar cada momento,
De consertar as coisas erradas que fizemos,
De olhar para a alegria e esquecer o sofrimento

Ainda temos tempo de amar intensamente,
De abraçar e beijar de forma ardente,
Aquela pessoa que não sai de nossa mente

Ainda temos tempo de sermos um pouco melhores,
De perdoar as pessoas por quem guardamos rancores
De esquecer as dores, e admirarmos as flores

Ainda temos tempo de curtir a bela madrugada,
De ficarmos em silêncio, de boca fechada,
Ouvindo apenas os grilos lá fora, e o relógio que não pára

Ainda temos tempo de dar valor à tudo
De aproveitar o dia de hoje como se fosse o último,
E ouvir a nossa música preferida, no escuro

Ainda temos tempo de fazer aquela ligação evitada por anos,
De dizer tudo que queríamos ter dito quando nos calamos,
De respirar bem fundo e pensar em quem amamos

Ainda temos tempo...

(Victor Neves)

sábado, 1 de dezembro de 2012

O óculos


Recentemente, eu tive uma irritação na vista, e pelo bem dos meus olhos, até que eu me recuperasse totalmente, não pude usar minhas rotineiras lentes de contato que me fazem enxergar tão bem. Por isso, tive que me dividir em períodos às cegas ou usar meus óculos, que desde muito cedo, eu relutava para não usar. Minha mãe me apelidou de "Mr. Magoo", quando eu insisto em ficar sem óculos. E isso me fez lembrar como tudo isso começou.

Quando eu era pequeno, eu era um menino educado, mas bagunceiro também, alegre, brincalhão. Na escola, gostava de sentar sempre no fundo da sala de aula, para não ficar muito em evidência lá na frente. Até que percebi que uma das duas professoras que eu tinha na época, andava me observando além do normal. Eu copiava o quadro, e ela ficava me olhando, de um jeito desconfiado. Um dia ela me chamou à sua mesa, pedindo para que eu levasse meu caderno; e eu logo pensei: "caramba, mas eu não fiz nada de errado!". Ela então deu uma lida em algumas páginas do caderno e disse: "Victor, quero que você dê um recado aos seus pais; diga a eles que acho que você tem problema de vista e precisa de óculos". Eu dei muita risada, e não levei a sério, mesmo assim dei o recado.

Eu vivia normalmente, eu fazia tudo, eu brincava normalmente, sempre via o mundo daquela forma. Até que fui ao médico oftamologista, e enxerguei, pela primeira vez, o mundo. Parecia tudo mais colorido, mais bonito, coloquei o óculos e como mágica, enxerguei melhor a vida! A partir daí eu pude entender por que certas vezes as pessoas me diziam para tomar cuidado com pedras, espinhos, buracos ao longo do caminho, e eu nem me importava. Eu não conseguia ver, mas meu orgulho não me permitia admitir estar errado, pois se meus olhos não viam, pra quê acreditar em outros pontos de vista?!

Anos depois, eu posso admitir que nem sempre podemos enxergar todos os ângulos na vida, nem mesmo ter certeza de tudo. Até mesmo o óculos tem suas limitações, temos o foco que fica bem na frente da vista, e temos pontos cegos, que seriam alguns ângulos que a lente do óculos não alcança. Quantas vezes pessoas queridas tentam nos apontar o perigo, nos mostrar que não estamos indo para o caminho correto, que estamos fazendo besteiras, e não admitimos essa possibilidade, somente pelo fato de nossos olhos não enxergarem isso? Muito cuidado, às vezes "precisamos de óculos"!


sexta-feira, 30 de novembro de 2012

TOP FIVE - NOVEMBRO

25/04/2012, 4 comentários


16/11/2012, 1 comentário


01/11/2012, 1 comentário



01/12/2011, 2 comentários

Quem quer ser perfeito?


Ouço quase todos os dias pessoas reclamando, insatisfeitas, cansadas do que são, sempre dizendo que queriam ser perfeitas. O objetivo de muitas pessoas é, não só melhorar, não só saber fazer bem suas atividades, mas sim, alcançar a tão sonhada perfeição. Já que diversas pessoas insistem nessa intenção, vou ensinar à todos vocês a serem perfeitos. Então vamos lá: Quem quer ser perfeito?

E vocês devem estar imaginando "ahhh, duvido que esse cara vá ensinar alguém a ser perfeito, será?". Já que o texto é curto, logo todos irão saber a resposta. Eu descobri como ser perfeito há pouco tempo também. Vamos pensar e imaginar juntos: nós temos uma vida; somos livres para sonhar, planejar um caminho sem fronteiras; podemos elaborar metas; podemos mudar de planos ao longo do tempo; caso uma porta se feche, podemos pular pelas várias janelas. E pra quê ser perfeito?

Os motivos são vários, queremos ser perfeitos em nossos relacionamentos afetivos, assim os nossos amores nunca nos deixariam; em nosso trabalho, assim seríamos sempre promovidos e nunca perderíamos o emprego; em nosso comportamento, podendo assim estarmos sempre equilibrados, calmos e serenos, evitando os desgastes com estresse, mau humor, angústias. Enfim, motivos não vão faltar!

Mas não querendo ser estraga prazeres, mas já reparou que queremos ser perfeitos sempre para algo ou alguém? E se mudarmos o foco, sendo perfeitos para nós mesmos?

Quanto mais nos preocupamos com as coisas, mais o medo nos angustia, apontando tudo de errado que pode acontecer. Tudo pode dar errado? Sim, assim como tudo pode dar certo. Adianta alguma coisa pensar no fracasso, na dor, no sofrimento e em todas as coisas ruins que podem acontecer conosco?

Somos perfeitos, todos nós, apesar de muitos não enxergarem isso. Temos dentro de nós, motivação e vontade mais do que suficientes para mudar todo o contexto de uma história ruim! Podemos recomeçar, tentar tudo de novo, podemos mudar, nos arrepender e consertar os nossos defeitos. Não tente ser perfeito para os outros ou para alguma coisa, seja perfeito para você, e aí o que se adequar a você, será atraído. Não existe algo perfeito para todos, existe o perfeito para nós mesmos!


sexta-feira, 16 de novembro de 2012

A Prova


Há um tempo atrás, uma moça chorando veio conversar comigo, dizendo que as coisas em sua vida não estavam dando certo, que era difícil lidar com a tristeza às vezes. Ela me contou que já não sabia o que fazer para reverter aquela situação, sair daquela crise que parecia um redemoinho, onde os momentos felizes eram cada vez mais raros. Então eu pensei que, para cada problema, existe uma solução; baseado nisso, cheguei a seguinte conclusão: "A Prova".

Definitivamente, caros leitores, não viemos ao mundo à passeio. Temos uma vida, e podemos relacionar a vida à uma prova, como a que fazemos em período escolar, na faculdade, nos cursos. Qual seria o objetivo da prova?

Em uma rápida definição, seria assimilar os conteúdos através do estudo e da aprendizagem que teve, alcançar uma nota alta, acima da média, que te permita passar para séries mais avançadas. Caso você não consiga atingir essa nota estipulada, você vai para a recuperação e algumas vezes, repete de ano, tendo que recomeçar o ano letivo todo de novo, reaprendendo toda a matéria, para uma nova oportunidade. Isso ao meu ver, é muito semelhante a vida. Afinal, a vida não acaba sendo uma grande prova?

Analisando alguns casos, e até a minha própria vida, vejo que não adianta fugir de um problema, evitar certa situação, pois enquanto você não resolve aquela questão, ela volta, várias e várias vezes, o problema é trazido por situações diferentes, em locais diferentes. Você tem medo do perigo, foge para um lugar calmo, e ele aparece do nada; você muda de emprego para se livrar de uma situação chata que vivia em seu trabalho, e no novo emprego, tudo se repete. E por que isso acontece?

Precisamos superar aquela questão, para passar na prova. Enquanto você não entender a pergunta que a vida está te fazendo, ela continuará te dando novas questões, com o mesmo conteúdo, até que você mostre que aprendeu, responda da forma correta e assim passe na prova. Entendendo a vida por essa visão, conseguimos ter uma clareza maior a respeito de nossos problemas e aflições. Por isso lembre-se, sempre que você não conseguir superar uma questão, tente reler a pergunta e compreender o que a vida está de perguntando!


quinta-feira, 1 de novembro de 2012

Pelo amor ou pela dor


Vivemos experimentando novas situações, agregando novos conhecimentos, e evoluindo gradativamente. As vezes, pegamos estradas em linha reta; em outras ocasiões, atravessamos estradas cheias de curvas, cheias de buracos. Assim é a estrada da vida, ela precisa te ensinar algumas coisas, e só há dois meios para que isso aconteça: "Pelo amor ou pela dor".

Logicamente, todos queremos pegar o caminho em linha reta, o caminho do amor. Um caminho aparentemente mais fácil de seguir, onde tudo dá certo, menos cansativo, menos perigoso. Muitas pessoas pensam que é difícil achar o atalho que leva a essa estrada; entretanto, a bússola que indica o caminho está dentro de você, apenas é preciso enxergar um pouquinho dentro de si. No fundo, todos nós sabemos o que é certo e errado, parece até que o coração bate feliz quando estamos no caminho certo, e aperta fundo, quando fazemos algo que sabemos que não deveríamos fazer.

Então entramos no caminho tortuoso, no qual passamos boa parte do tempo. Um caminho cheio de pedras e espinhos, sofrido na maioria das vezes. Porém o caminho da dor na maioria das vezes é opcional. Por exemplo, podemos cuidar de nossa saúde e bem estar, antes de ficarmos doentes; podemos valorizar as pessoas que amamos, antes que elas partam pelas razões que forem; podemos estudar para a prova, antes de ficarmos reprovados.

Exemplos não faltam, e o que falta, muitas vezes, é a percepção de que a escolha está em nossas mãos. É mais fácil culpar o destino, culpar a sorte, culpar a vida, do que assumir que estamos errando. Quantas vezes estamos seguindo viagem, e existem vários atalhos sendo apontados nas placas da estrada, mas passamos distraídos e perdemos a entrada do caminho do amor?

A vida faz a parte dela, te passando os ensinamentos que você precisa aprender. Uns prestam mais atenção pegando as estradas mais tranquilas, e infelizmente, a maioria de nós está distraído demais em sua viagem, e acaba seguindo rumo ao caminho da dor.  


terça-feira, 30 de outubro de 2012

TOP FIVE - OUTUBRO

06/10/2012, 2 comentários


25/04/2012, 4 comentários



12/01/2012


11/04/2012, 1 comentário

sexta-feira, 19 de outubro de 2012

Parabéns!


Meus caros leitores, é com muita felicidade que comemoramos o 1º aniversário do blog "Nunca é tarde para mudar", após ele recomeçar, depois de quase 10 anos de ausência. Na primeira versão, que durou 5 anos no ar, atingimos a marca de 10 mil visitas. Já na versão atual, chegamos a marca surpreendente de 45 mil visitas, em um ano!

A seguir, os 10 textos mais visitados nesse primeiro ano:

19/01/2012, 4 comentários










01/11/2011, 4 comentários










25/04/2012, 4 comentários










05/12/2011, 4 comentários










12/01/2012










11/04/2012, 1 comentário










15/12/2011, 3 comentários










22/01/2012, 3 comentários










06/10/2012, 1 comentário










22/11/2011, 1 comentário





Só tenho a agradecer à todos vocês pelo apoio que tem me dado, e dizer que é bastante gratificante pra mim, dividir esses pensamentos e reflexões com vocês. Só há graça de continuar, por saber que existem pessoas se identificando, sorrindo, chorando, pensando, refletindo através das minhas palavras. Obrigado pelo carinho, pelo sucesso nessa volta, e agora a meta para o próximo ano é atingir as 100 mil visitas. Vocês me ajudam nessa?!

Beijos e abraços à todos, e que venham muitos anos nessa nossa parceria, lembrando sempre que "NUNCA É TARDE PARA MUDAR!"

sábado, 13 de outubro de 2012

Nissim "Our FAIL"


Certo dia, alguém me perguntou se eu já visto o novo viral da internet, o sucesso "Nissim Ourfali", o menino que ia para a Baleia. Então eu assisti, e por incrível que pareça, eu não achei muita graça, para o espanto de muitas pessoas. Na mesma hora, me veio à cabeça outros sucessos, como a Luiza do Canadá, a Família "Para nossa alegria", entre outros. Mas havia uma diferença, dessa vez, tratava-se de uma criança, que em nenhuma parte do vídeo, pareceu fazer graça. Baseado nesse pensamento, teremos a reflexão de hoje: Nissim "Our Fail" (tradução: Nossa falha).

Antes de mais nada, é importante entender o tal "Bar Mitzvah": seria uma espécie de comemoração de aniversário dos meninos judeus, sendo uma das mais importantes e marcantes na vida de um judeu. Acontece uma cerimônia baseada na Bíblia Sagrada, onde Jesus Cristo, aos 12 anos de idade, foi pela primeira vez, levado ao templo (Lucas, capítulo 2), conforme mandava a tradição. Para comemorar os 13 anos de Nissim, quando seria comemorado seu Bar Mitzvah, a família dele resolveu inovar, contratando uma empresa para fazer um vídeo. Foi assim que surgiu o vídeo assistido por milhões de pessoas.

Então, eu não tive como achar graça do vídeo, pois para mim, claramente, aquilo era uma homenagem. Por mais engraçado que pareça, estamos falando da vida de um menino, da vida real dele, de todas as coisas que ele gostava, da sua cultura, da sua fé, e de uma das fases mais importantes da sua vida, a comemoração do seu Bar Mitzvah. E o que fizemos com a história do menino? Fizemos piada, deboche, ridicularizamos uma criança e toda sua história de vida. Imagine o transtorno causado para ele? Imagine como é ser chacota nacional?

E muita gente vai dizer: "ahhhh, mas ele ficou famoso!". Vocês gostariam de ser famosos as custas da ridicularização da sua pessoa, da sua vida real e da sua história?!

Como eu já imaginava, Nissim sentiu os efeitos dessa "fama", e a família dele resolveu processar o google¹ pelos sérios transtornos que essa exposição causou à vida do menino. Ao contrário de outros virais da internet, Nissim não queria fazer graça, nem queria fama, e era apenas uma criança cantando de forma divertida, a sua vida. Nissim deixou de ir para Baleia, para começar a fazer visitas à um terapeuta, e agora "agradece" à todos nós, que fizemos dele "um sucesso". Desculpe Nissim, "Our Fail" (tradução: nossa falha)!



(1) fonte: http://m.techtudo.com.br/noticias/noticia/2012/10/familia-de-nissim-ourfali-processa-google-apos-video-virar-piada-na-web.html

sábado, 6 de outubro de 2012

Amor não correspondido


Amar e não ser amado; querer o outro por perto, quando ele não está interessado em sua presença. Viver com a pessoa amada no pensamento, sabendo que ela está pensando em qualquer coisa, menos em você. Cair na ilusão de que tudo isso pode ser mudado, achando sempre que existe um problema consigo mesmo. Nem sempre alguém está errado, muitas vezes é simplesmente AMOR NÃO CORRESPONDIDO.

Tem-se a ilusão de que a pessoa amada só tem condições de ser feliz caso viva ao seu lado, mesmo internamente sabendo que existem, muitas vezes, poucas afinidades e pensamentos semelhantes; mesmo sabendo que existem pessoas com muito mais condições de fazer o seu ser amado mais feliz, do que você pode fazer. Aceitar isso é que é complicado, pois o amor as vezes acaba sendo um pouco egoísta. Quando se ama, a tendência é querer o outro para si, na maioria das vezes. Mas seria isso, amar de verdade?

Vamos imaginar que o amor está guardado no coração, e esse coração não é um órgão, e sim um objeto de vidro. Então este objeto é quebrado por alguma razão, e temos duas opções ao juntar os cacos: colar ou jogar no lixo. Colar seria insistir um pouco mais, tentar novamente, recomeçar, ter esperança de que pode-se mudar alguma coisa e acreditar que esse amor tem futuro. Jogar no lixo não seria com a mesma frieza do termo; jogar no lixo, nesse caso, seria desistir desse amor, pois não vale a pena insistir em algo que tudo leva a crer que não dará certo. Aí está a diferença, só tentamos consertar algo que ainda temos interesse em ter; caso contrário, descartamos.

É preciso saber a hora de insistir e mais ainda, saber a hora de dizer adeus. Dizer adeus não significa desistir de amar, e sim, dar uma segunda chance pra si mesmo, e tentar ser feliz com quem te ame. Invista em coisas que possam dar certo, pare de se machucar sem necessidade. Liberte o ser amado, lhe dando o direito de optar pelo melhor para ele também. Liberte e seja libertado, para que seja possível que ambos vivam amores correspondidos!  

quinta-feira, 4 de outubro de 2012

O egoísta



"Primeiro eu, segundo eu e terceiro, eu" - no pódio do egoísta, são essas as colocações. Sempre sua opinião, seus interesses, desejos, estão em primeiro lugar. Não existe "nós", existe "eu e você(s)". O egoísta quer apenas se agradar, pensa em si, e até quando parece estar pensando nos outros, procura tirar alguma vantagem na situação.

É comum no egoísta ter a memória curta, lembrar apenas do que lhe interessa. Se fez algo que deu certo, lembra apenas do que fez, orgulhoso, encara como mérito pessoal. Qualquer papo de agradecimento, é demagógico, dito da boca pra fora. Esquece de todos que o ajudaram, esquece a contribuição das pessoas no seu sucesso. Acha sempre que fez mais que todo mundo, que merece mais que os outros!

Quando tenta ajudar alguém, quer que essas pessoas sejam subordinadas as suas vontades. É como ajudar, mas querer o outro como um puxa-saco, um capacho, obediente as suas vontades, enaltecendo sempre o egoísta, o favorecendo, o agradando em tudo. A máscara do egoísta logo cai quando ele é contrariado pelos capachos que ele diz serem seus amigos. Aí o "amigo" do egoísta, perde seu posto, na primeira negativa das vontades do sujeito egoísta. 

Entretanto, o egoísta acaba caindo na sua própria cilada. Se ele não é amigo de ninguém, também não consegue ter amigos sinceros. Sua vida é toda de mentira, assim como seus discursos e ações. Suas conquistas são para mostrar para os outros, e não para serem compartilhadas. E um dia isso cansa, um dia o egoísta se dá conta do enorme vazio que é a sua vida.

O egoísta se acha invejado quando consegue sucesso em suas atividades, quando a maioria tem é pena de pessoas assim. O egoísta não se dá conta de que o prazer da vida não está no "ter" e sim no "ser". Quem é você egoísta? A quem quer enganar?

No fundo, o egoísta sabe quem é, e sabe quem os outros são. Pensando só em tomar dos outros, o que quer para si, o egoísta acaba esquecendo as coisas boas que existem nele. Quer mais, mais e mais, nunca está satisfeito, nunca está em paz. Como se conhece tanto, sabe que precisa conquistar muito ainda, para buscar um valor que outros tem naturalmente.

E se de alguma forma essa reflexão for lida por alguns egoístas, a mudança de atitude muda a vida de um ser. A partir do momento que reconhecemos nossos erros e defeitos, a felicidade real é atraída como um imã para um sujeito que se arrepende e muda! Nunca é tarde, lembre-se que a maioria dos egoístas acabam sozinhos...adianta ser um rei solitário?

domingo, 30 de setembro de 2012

TOP FIVE - SETEMBRO

25/04/2012, 4 comentários


12/01/2012



27/09/2012, 1 comentário


11/04/2012, 1 comentário

quinta-feira, 27 de setembro de 2012

Eu posso colar


Teve uma época em minha vida, onde fui morar por uns meses, na casa dos meus avós. Certo dia, um velho relógio que ficava na sala despencou e se quebrou no chão em vários pedaços. Lembro que minha avó olhou bem para os cacos daquele enorme relógio de madeira, e disse que ele não tinha mais jeito. Meu avô foi buscar a vassoura e a pá do lixo para limpar, e eu olhei bem pra ele, dizendo: " Vô, eu posso colar! ". E meu avô era um sujeito que gostava de estimular as habilidades e acreditar nos talentos dos netos; se eu disse que podia colar, ele acreditava. Logo chegou com os pedaços e um tubo de cola, e disse: "Pode começar".

Coloquei os pedaços em cima da mesa, e comecei a localizar os cacos e tentar o encaixe, como um enorme quebra-cabeça. Demorei muitos dias para colar tudo, quase uma semana inteira. Meu avô só olhava, e de vez em quando chegava em mim e dizia: "E aí, vai demorar muito? Eu quero ver a hora no relógio da sala!". Mas sempre deixava escapar aquele sorriso provocativo, de saber que eu ia conseguir colar. Ele sempre soube que tinha um neto insistente e determinado.

Até que ele olhou em cima da mesa, e viu que tudo estava colado, pecinha por pecinha, com certas rachaduras se olhado bem de perto. Então, meu avô me perguntou se poderia colocar no lugar, e eu disse que ainda não, pois deveria deixar a cola secar bem, para que ficasse firme e não quebrasse mais. Dias depois, fomos juntos colocar no lugar, e lá estava, o relógio que durou mais anos e anos, funcionando, firme e forte. E todos os dias em que eu olhava para aquele relógio, eu lembrava do esforço que eu fiz para que aquele velho relógio estivesse lá, pendurado na parede, informando as horas, no seu sonoro tic/tac.

Eu sempre acreditei no conserto, na melhora, na mudança, no crescimento, e na constante atualização. Desde pequeno, acredito que para tudo existe um jeito, e não devemos desistir de nada, antes de tentar fazer, por mais difícil que pareça. Procurar ter carinho, consideração e amor, pelas pessoas, pelos animais, pelos objetos. E futuramente ter como retorno o prazer de ver as coisas funcionando, perfeitamente, como funcionavam antigamente!

"Eu posso colar...todos nós podemos!". E eu continuo colando!




quarta-feira, 26 de setembro de 2012

Tudo que seu mestre mandar, faremos todos!


Quem brincava na infância, lembra com saudade da brincadeira "tudo que seu mestre mandar, faremos todos". Escolhia-se o mestre, que dava a ordem, e todas as crianças que participavam, tinham que obedecer. Por exemplo, se o "mestre" mandasse pular numa perna só, todos obedeciam e pulavam. Eu brinquei muito disso quando criança, e acredito que a maioria dos leitores também.

Atualmente, consigo pensar um pouco mais a fundo, e vejo que a brincadeira imita a vida real. Se pararmos pra pensar, existem muitos "mestres" por aí agindo da mesma forma; na internet, é o que mais se vê. Pessoas que conquistam um certo prestígio, e com um jeito engraçado, parecendo despretensioso, inventam ações em massa, para que outras pessoas façam a vontade do "mestre". Essas campanhas acontecem muito com a rede social Twitter, com as famosas "hashtags", diariamente divulgadas para seus seguidores fazerem as brincadeiras criadas pelo "mestre".

O que ninguém se dá conta, é que muitas vezes, existem interesses em jogo. Os tais mestres brincam com seus seguidores como marionetes, impondo suas vontades de forma bem sutil. Se eu sou o mestre, por exemplo, posso prejudicar pessoas que "eu como mestre, não quero bem", e fazer com que uma avalanche de ofensas atinjam meus inimigos pessoais, os colocando como vilões muitas vezes. Além disso, é uma demonstração de poder, e uma intimidação, visto que se alguém se meter comigo, e "eu sou o mestre", mando todos os meus seguidores atacarem no dia e na hora que eu quiser.

O mais grave nisso tudo, é que existem mestres bem idiotas, que não se preocupam com as consequências de uma brincadeira, e onde não dá direito ao outro de se defender. Imagine você ser atacado por uma avalanche de ofensas "engraçadas", sendo uma pessoa contra milhões? É como uma surra de bando, onde quem apanha não tem a menor chance de se defender; além disso, nunca é levado em conta a história e os sentimentos da pessoa alvo, a família da pessoa ofendida, etc. Ainda mais grave, é que constantemente, TODOS NÓS acabamos entrando na brincadeira, e sendo marionetes nas mãos de um "mestre", e nem nos damos conta disso.

E ainda tem gente que acha que a internet é território livre, onde se fala e se faz o que bem entender. Ninguém entende que existem "mestres" agindo sutilmente, impondo suas vontades, divulgando seus pensamentos e nos bombardeando com informações favoráveis à eles. Estamos meio velhinhos pra brincar disso, não acham?

Tudo que seu mestre mandar, faremos todos?


#Nuncaétardeparamudar

terça-feira, 18 de setembro de 2012

Sorria, você está sendo filmado



Estava no trabalho, quando um senhor se aproximou, abriu a mão mostrando umas poucas moedas e disse que até aquela hora, não tinha almoçado e pedindo algum tipo de ajuda. Entretando, não aparentava alguém que estava com fome. Fiquei na dúvida, tirei e dei à ele uma nota de dois reais do bolso. Então o sujeito virou-se pra mim, me perguntando: "Do you speak English? (Você fala Inglês?)" e acenei com a cabeça que sim. Então ele foi em direção a saída e pronunciou "Fuck you (foda-se)", e logo sumiu da minha vista.

Confesso que fiquei alguns segundos tentando entender o que tinha acontecido, ainda mais que meu local de trabalho fica bem próximo de uma padaria, onde aquele dinheiro com certeza daria para amenizar sua fome. O motivo que o fez me "agradecer" dessa forma não me importa muito, pois cada um dá ao outro o que tem dentro de si. Mas era impossível não pensar: Caramba, eu estendi a mão, o senhor pedinte me agradece dessa forma, por que algumas pessoas são assim? Qual a razão de eu estar passando por essa situação?

Vinha andando de volta para casa, quando uma placa me chamou a atenção, pois dizia "Sorria, você está sendo filmado". E a partir daí, tudo fez sentido pra mim, não pelas câmeras de segurança dos locais, mas sim pela câmera do Universo, os olhos que tudo vêem, aquele que nem o maior dos mentirosos consegue enganar, que consegue ver o seu interior mais profundo, a visão de luz e de amor que reina no Universo, Deus. 

Isso me fez lembrar que não estamos aqui a passeio, estamos aqui em busca de evolução, de crescimento interno e espiritual, estamos sempre buscando nos melhorar. Costumo dizer que é muito fácil ser bom com as pessoas quando tudo vai bem, quando tudo está dando certo, quando as pessoas te tratam com amor, carinho e respeito. O difícil é você ter discernimento e sabedoria de agir no bem, quando se encontra na crise, quando é desrespeitado, quando é ofendido.

O mais importante é fazer a sua parte, mesmo que os outros não façam o mesmo. Amanhã ou depois, o mundo vai girar, quem tava por cima, pode acordar por baixo. Seja lá o rumo que a vida tomar, você estará firme e forte, amparado pela força que vem te "filmando", o tempo inteiro, 24 horas. Agradeça por tudo que você tem, e se for grosseiro ou injusto , não reclame da falta de "sorte" e da "injustiça".

Em resposta ao senhor que pediu ajuda: "God bless you! (Deus te abençoe)"

segunda-feira, 10 de setembro de 2012

O que você anda fazendo com sua vida?


Vivemos em um mundo repleto de distrações, entretenimento, onde assim que acordamos, a agenda já está cheia, mesmo nos dias de folga. Parece que 24 horas por dia, está longe de ser o suficiente, pelo tanto de coisa que pretendemos fazer. Acabamos não dando conta do recado, e reclamamos que não temos tempo de fazer nada, mas vocês já pararam para pensar no que estamos fazendo todos os dias?

O trabalho é intenso, cada dia que passa, trabalha-se mais. As exigências nunca acabam, estamos sendo obrigados a estudar cada dia mais, nos melhorar enquanto profissionais, fazemos treinamentos, cursos. Ao longo das gerações, percebemos que as horas de trabalho só aumentam. Ganha-se mais por isso? Claro que não, ganha-se cada vez menos. Alguma coisa não faz sentido nisso, mas não temos muita escolha, precisamos sustentar nossas famílias, comprar as nossas coisas, e participamos, talvez, por falta de opção.

Nas horas que restam, queremos nosso merecido lazer. Você chega cansado em casa, estudou, trabalhou o dia todo, então ligamos a tv, que nos fornece tantas opções em sua programação; assistimos filmes, novelas, esportes, desenhos, programas, enquanto estamos jogados no sofá. Outros, preferem a internet, e mergulham no mundo virtual, repleto das redes sociais, que nunca param; que barato, seja a hora do dia que for, terá sempre alguma novidade sendo divulgada, gente conversando contigo, te mandando mensagens. Além de video-games, música, livros, e as várias opções que temos.

Já ia me esquecendo, tem lazer fora de casa também. Como passear no shopping, fazer umas compras, irmos para eventos, praticar esportes, fazer academia, irmos a praia. Precisamos comprar o celular mais moderno, a roupa da moda, comer aquelas comidas gostosas que passam nos comerciais, ter o corpo sarado igual aos personagens da novela, pegar uma cor na praia ou na piscina. Aliás, já notaram que tá meio que proibido ser feio, né?! Ah desculpa, ninguém pensou nisso, então vou mudar de assunto. A mulher que tem cabelo enroladinho, precisa alisar, porque todo mundo faz alisamento! O magrinho precisa ficar fortinho, o gordinho precisa emagrecer, o careca que dê um jeito de crescer cabelo ou disfarçar esse rombo na cabeça!

Te faço uma pergunta caro leitor: alguém, em algum momento, em algumas dessas atividades, te faz refletir e e pensar a respeito de algo mais importante, tipo o que você está fazendo com sua vida?

Mas tá divertido, então tá legal. Dê ao povo, pão e circo...


....e não ouçam esse louco que tem um blog na internet chamado "Nunca é tarde para mudar"!

quinta-feira, 30 de agosto de 2012

TOP FIVE - AGOSTO

25/04/2012, 4 comentários





19/01/2012, 3 comentários


28/08/2012, 1 comentário


05/12/2011, 4 comentários


12/01/2012

terça-feira, 28 de agosto de 2012

Amigos equilibrados


Conheci um grupo de amigos, e resolvi me enturmar com eles. O engraçado é que todos eram bem diferentes uns dos outros, possuindo qualidades e defeitos. Eram eles: o Orgulho, a Paciência, a Revolta e a Harmonia. Andando com esse grupo, pude perceber que Orgulho e Revolta conversavam mais, tinham muitas afinidades, assim como Paciência e Harmonia tinham mais interesses em comum.

Resolvi analisar cada um, separadamente:

O Orgulho - sujeito correto, firme, gostava de falar das qualidades e sequer tocar no assunto dos defeitos. Sabia que era um bom sujeito, mas não admitia errar, muito menos que outros apontassem seus erros. Era discreto em relação a admitir suas falhas, mas crescia e se emplumava na hora de contar suas conquistas e vitórias.

A Paciência - moça tolerante, atenciosa, bondosa. Era toda ouvidos, tinha prazer de compreender as pessoas, sempre sorrindo. As vezes, era até feita de boba, pois abusavam de sua boa vontade. Muita gente confundia as coisas, achavam que por ser boa pessoa, Paciência era boba.

A Revolta - esquentada que só, essa era bem explosiva. Mulher brava, não levava desaforo pra casa de jeito nenhum. Moça de pavio curto, falava o que vinha a cabeça, franca e grossa. O lado bom da Revolta era a sinceridade dela, era transparente e não escondia de ninguém a sua personalidade forte. O problema dela era seu estresse, nervosinha ela.

A Harmonia - a melhor definição para essa moça era serenidade. Era aquela que apaziguava tudo, era sensível, colocava panos quentes em tudo quando o clima começava a esquentar. Não deixava ninguém no grupo ficar de fora das conversas; sempre que alguém se sentia ofendido com alguma brincadeira, já vinha ela mudando de assunto, amenizando as coisas, falando coisas agradáveis. Queria o bem de todo mundo, gente boa demais.

Certo dia, fui passear com meus novos amigos, e me aproximei primeiro de uma dupla agitada e bem engraçada de vez em quando, Orgulho/Revolta. Enquanto o Orgulho falava de si, a Revolta fazia cara de tédio, e me fazia rir. Até que um rapaz esbarrou no Orgulho, e ele não ligou muito. Mas a Revolta tava junto, começou a colocar pilha, dizendo que achava que foi de propósito o esbarrão, e incentivou o Orgulho a tirar satisfação; a sorte é que a Paciência ouviu, pediu calma e disse que a Revolta tava exagerando. Mesmo assim, o Orgulho tava muito irritado, e foi preciso que a Harmonia viesse com aquele seu jeitinho dizendo: "tá um dia bonito hoje, né gente?"

Sorte do grupo que existia a dupla calminha, Paciência/Harmonia. Até que seguimos adiante, e um cara abusado grudou na Paciência; sujeito chato demais, cismou com ela, e queria contar sua vida toda, seus problemas, dando umas cantadas nela. O Orgulho saiu logo de perto, e a Revolta não aguentou, e deu um chega pra lá no cara chato, gritando: "Paciência, tudo tem limite". O sujeito ficou sem graça e saiu de perto, mas Paciência deu graças a Deus, não aguentava mais, mas tinha um sério problema em dizer "não" e negar atenção as pessoas. Harmonia só olhou, e preferiu ficar quieta; acho que ela percebeu que a Revolta já tinha resolvido a situação, ao jeito dela, claro!

Só então eu me dei conta que esse grupo se completava, ambos precisavam uns dos outros. Engraçado, que nesse grupo, todos eram importantes. Acho que caso um destes integrantes não fizessem parte, não seria igual, não funcionaria tão bem. Devido as suas diferenças, eles encontravam o tão sonhado equilíbrio.Qual dos meus amigos vocês curtem mais?Aliás, já os viram por aí?


terça-feira, 14 de agosto de 2012

Envelhecer


Os dias andam passando rápido demais, o tempo não anda, ele corre! Dias, semanas, meses, anos, passam num piscar de olhos. Já não se tem mais o mesmo gás de antigamente; olhando no espelho, as rugas começaram a aparecer, o rosto já está mais cansado. E nos cabelos, já é possível enxergar alguns fios brancos, ou mesmo a queda do cabelo que um dia já foi tão forte. Faz parte da vida, envelhecer!

Assustados, pensam as vezes que é mentira a idade já estar tão avançada, até que olham para homens e mulheres feitos, e lembram que um dia os pegaram no colo, quando eram jovens, e eles, bebês. A pergunta é: quem está pronto para envelhecer?

Aceitar o envelhecimento é uma coisa, estar pronto, é outra. Aquele que um dia era o protetor, se torna um dos protegidos de alguém. O responsável por todos, hoje precisa de cuidados. Tenta correr, e fica sem fôlego; pega um peso, e as costas doem. Só assim se dá conta que a idade está chegando. Aquele menino já virou um jovem, depois um homem e amanhã será um senhor. Começam a imaginar que certas coisas que gostavam, não condizem mais com a idade que tem.

Entretanto, cada um é que coloca esse limite em si mesmo. Não há mal algum de envelhecer fazendo o que se gosta; se o corpo e a mente acompanham, não existe por que deixar de fazer certas coisas por se achar velho demais. Só há duas maneiras de continuar a vida, envelhecer ou morrer. E mesmo que a idade prive a pessoa de certas atividades ou situações, haverão outras formas de se curtir e se divertir.

Vale a pena curtir a vida, sem se preocupar com o tempo que ainda resta. Faça o que você tem vontade, não se preocupe com problemas que não tem solução. Vá vivendo, um dia de cada vez, sem se preocupar "em quanto tempo, o tempo te dará de tempo". Se perca no tempo, e o faça muitas vezes parar. Já reparou que momentos maravilhosos são vividos com tanta intensidade, que até esquecemos que existe tempo? Se você deixou de acreditar na juventude, repense, volte atrás...NUNCA É TARDE PARA MUDAR! A idade está na cabeça de cada um de nós...  


terça-feira, 7 de agosto de 2012

Marcha soldado!


E essa guerra, que nunca termina? É tanto tempo lutando, que posso ter certeza, não há vencedor nisso tudo. Batalhas violentas acontecendo todos os dias, se ganha e se perde territórios, aliados, gente inocente sofrendo. Não consigo entender o que me fez estar aqui até agora, não consigo entender se me hipnotizaram para lutar tanto tempo, sem me dar conta. Lutei pela justiça, lutei pelos meus entes queridos, lutei pelo meu país. Batalhei lado a lado de soldados guerreiros, que lutaram pelos mesmos ideais que eu.

Entretanto, onde está o general? Vejo gente convencendo os outros a lutar pela sua pátria, mas que sequer suja suas botas na lama e na areia. Fica claro que existem falsos ideais, fica claro que tem gente lucrando com a minha dor, e a dor de todos os soldados, assim como a dor de suas famílias. Vi muitos soldados no campo de batalha, que sequer entendiam o que ali estavam fazendo, matando e morrendo, sem entender.

Só sei que meu pelotão se dispersou, pois jogaram bombas em nossa direção; alguns caíram, alguns se feriram e eu dei sorte de sair com poucos arranhões. Não quis deixar ninguém para trás, mas chega um momento em que é ignorância tentar voltar para ajudar, em um campo minado, cercado de soldados inimigos. Ficou cada um por sua própria sorte, com suas armas. Escondido aqui nos arbustos, fico pensando: "Meu Deus, como pode ter guerra num local tão lindo e tão belo quanto esse? Ao invés de estarmos curtindo toda essa paisagem, estamos aqui, nos matando, em uma guerra que parece não ter fim."

Foi tanto tempo me defendendo, que acabei perdendo um pouco do jeito carinhoso e amoroso de ser. Esqueci muitas de minhas virtudes, me perdi em violência, ignorância, agressividade e frieza. As vezes criamos uma guerra, em busca de um pouco de paz. Mas será mesmo que o caminho certo é esse? Também não tenho certeza se isso funciona! Porém, de uma coisa eu sei, chegou a hora de abrir mão disso tudo.

Sinto muito pelos que ficam, e permanecerão nessa guerra por sabe-se lá quanto tempo. Não me sinto um desertor, apenas já lutei demais e fiz a minha parte. Busquei paz, busquei a justiça, encarei de frente batalhas que me marcaram de uma forma que eu nunca mais irei esquecer. Agora eu estou cansado, estou jogando minha arma no chão, e indo embora. Espero que logo possam cessar fogo, e levantar a bandeira branca da paz.

Marcha soldado guerreiro, mas marcha para sua casa, pois mesmo que a guerra continue, a sua termina agora. Marche imediatamente em busca de paz!

quarta-feira, 1 de agosto de 2012

TOP FIVE - JULHO

19/01/2012, 3 comentários


12/01/2012


25/04/2012, 4 comentários


22/01/2012, 3 comentários


11/04/2012, 1 comentário

quinta-feira, 12 de julho de 2012

Mãe


Noites e noites em claro, ouvindo meu choro, me pegava no colo e estava ali comigo. Que moça linda! Eu amo essa mulher desde quando vi que para que eu nascesse, ela quase teve que trocar a vida dela, pela minha. Mulher honrada, generosa, bondosa. É tanta qualidade, que fica difícil perceber os defeitos que tem. Ela me faz entender o que é ser mãe, sem nunca ter me explicado o significado disso; ela demonstra isso na prática, essa é minha mãe.

Sempre que eu me deitava para dormir, sentia aquela mão acariciar meus cabelos, verificar quase todos os dias se eu estava coberto, quentinho na minha cama. Muitas vezes eu fingia estar dormindo, para sentir ela me fazendo carinho, mesmo sem ela saber que eu podia sentir. Logo pela manhã, vinha ela com seus ruídos estranhos, batendo palmas, sorrindo, com uma felicidade ao me acordar, que eu nunca entendia. Era só mais um dia, mas pra ela, parecia ser O DIA. Como se todos os dias fossem importantes, e pra ela, sempre foram mesmo. Eu não podia entender, na época, que pra ela, cada dia ao meu lado, ao lado do meu irmão e da família, eram dias especiais. 

Nos dias que eu estava muito doente, eu adormecia e quando acordava, adivinha quem estava olhando pra mim? Ela, sempre ela. E sempre me dizendo que ia ficar tudo bem, mesmo quando seus olhos achavam que a doença podia demorar, que a dor poderia não passar tão rapidamente. E ela sempre achava que podia ajudar, mesmo quando não tinha nada pra ser feito. Problemas pra ela sempre existiram, mas nunca vi minha mãe dizer que certo problema não tinha solução; se não tinha, ela dava um jeito de inventar!

A qualquer dia, a qualquer hora, eu poderia chamar por ela, que ela vinha atenciosa pra me atender. Sempre disposta a me ajudar, a ouvir, a fazer pensar. Todas as vezes que eu pretendo fazer uma besteira, falo com ela, e ela dá um jeito de me fazer mudar de idéia, me convence a trilhar caminhos de paz, caminhos do bem. Eu sinceramente não me lembro de um dia sequer, que eu quisesse conversar, e minha mãe não quisesse me ouvir. Na missão de mãe, honestamente, não vejo defeito algum nessa mulher.

É por isso mãe, que eu procuro honrar tudo de bom que você me ensinou e buscar compartilhar esses conhecimentos que aprendi com você. Não tenho nada para reclamar, mas tenho TUDO para te agradecer, tudo mesmo! Hoje já existe um equilíbrio, hoje eu já te defendo e procuro te proteger, retribuir esse carinho e esse amor que você sempre teve por mim. Vou levar uma vida inteira pra te pagar tudo que você fez e faz por mim, não tenho nem palavras pra te dizer o quanto eu sou feliz por ter você em minha vida. Espero nunca te decepcionar, minha mãe, mesmo sabendo que seja lá o que eu faça, você sempre irá me perdoar.

MUITO OBRIGADO pela vida, por tudo que você me ensinou e por ser a minha MÃE! TE AMO!


quarta-feira, 4 de julho de 2012

Homossexualidade


Definição básica: refere-se a pessoa que sente atração física, estética e/ou emocional, por pessoas do mesmo sexo.

Certo dia, uma mãe veio me procurar, perguntando se eu poderia "curar" seu filho, pois, segundo ela, o rapaz estava "doente da cabeça", por ter dito à ela que estava apaixonado por outro rapaz. Por esse motivo, resolvi tocar nesse assunto hoje. Para compreendermos a fundo esse tema, precisamos enxergar os diferentes pontos de vista, tentando analisá-lo por diversos ângulos.

Primeiramente, é necessário entender os pensamentos de alguns pais, que se recusam a acreditar que seus filhos possam ser homossexuais. Acredito que mais de 90% dos casais que tem filhos, imaginam que eles seguirão a regra tradicional, em que o homem  se casa com uma mulher (e vice-versa); após um tempo, irão aumentar a família, tendo também seus filhos, dando sequência à futuras gerações. Quando percebem que esse sonho criado por eles, pode não acontecer exatamente da forma como imaginaram, bate o desespero.  As reações são diversas: alguns não aceitam a situação, outros ficam em choque, ou acham que é fase, doença, revolta. É importante que esses pais tenham um tempo para se acostumar com a idéia, e possam se adaptar à essa nova situação. Entretanto, a maioria dos pais, ao longo da vida, já percebem quando seus filhos são homossexuais, mas não conseguem olhar para isso de forma natural.

Por outro lado, estão as pessoas homossexuais, que sofrem uma pressão ainda maior. Certo dia, a pessoa percebe que não sente atração pelo sexo oposto, e sim pelo sexo idêntico ao seu. Muitos se revoltam contra si mesmos, e se culpam pelos sentimentos que não conseguem controlar. Tem medo de não serem aceitos, dos preconceitos que sofrerão, de magoar a família. Fora isso, nem todos aceitam a si próprios; é comum vermos homossexuais tentando ser héteros. Lutam contra si próprios, contra seus sentimentos, no desespero de tentar mudar algo que não é uma escolha. Você, querido leitor, acredita que existe uma escolha? As pessoas escolhem ser héteros? As pessoas escolhem ser homossexuais?

Eu, por exemplo, sou hétero, mas não escolhi isso. Eu simplesmente sou, e sempre fui, não é algo forçado. E assim acontece com os homossexuais. Não acredito numa escolha, pois quando se trata de sentimento, não existe explicação. Na vida existem escolhas sim, mas não concordo com o termo "opção sexual". Eu não escolho ser hétero, e nem os homossexuais escolhem ser homossexuais. Portanto, o passo principal é se conhecer, saber quem você é, o que sente e o que quer. Não deixe que escolham sua vida, seja o que você vive dentro e fora de você.

É sempre um assunto delicado, com opiniões que divergem. Sou contra qualquer tipo de preconceito, e minha preocupação não é explicar a homossexualidade; minha preocupação é que todos possam ser aquilo que são. Todos tem o direito de serem aceitos, e o dever de aceitar o outro da forma como ele é. Sendo héteros, homossexuais, bissexuais, etc, não muda o que somos...pois somos todos iguais, todos HUMANOS! O importante é que todos possam ser felizes sendo o que são, sem ter que fingir, basta isso.   

sábado, 30 de junho de 2012

TOP FIVE - JUNHO

19/01/2012, 3 comentários
12/01/2012

25/04/2012, 4 comentários

22/01/2012, 3 comentários
12/06/2012, 3 comentários

quinta-feira, 28 de junho de 2012

Escrevendo sua história


Se pararmos bem para pensar, a vida é como um livro. Neste livro encontra-se tudo que já fizemos na vida; os acertos, os erros, as lembranças, os sonhos, os amores. Chega a um ponto do livro, que tudo está em branco, e como em toda a história, queremos saber o próximo capítulo. O que será que vai acontecer? O que será que o autor inventará na continuação disso tudo?

Como em todo livro, existem os contratempos, os problemas, desilusões, complicações, os vilões, e várias pedras no decorrer do caminho. E o autor desse livro, por incrível que pareça, somos nós mesmos! Escrevemos essa história a cada dia, praticamente em tempo real. É como se documentassem todas as nossas atitudes e ações, todas as decisões tomadas.

Existe tanta gente reclamando do que vem sido contado neste livro, pois acabam se esquecendo que são os autores da sua história. O gênero do livro, é criado por cada um: pode ser comédia, romance, drama, ação, aventura, TERRORRRR! E como todo livro, uns amam, outros odeiam. Alguns autores compõem obras admiradas por todo o mundo, com uma inspiração incrível; outros autores não foram felizes, e compuseram histórias chatas, monótonas, sem graça.

Como em toda história, tudo pode mudar, de repente. Tem livro que começa viciante, prende a atenção, e tem um final chatíssimo; outros, começam mal, e vão melhorando, melhorando, até que tem o final mais surpreendente de todos! É assim o livro da vida, e o bom livro é aquele que se mantém constante, e tenta não alternar tanto entre bons e maus momentos de inspiração. Um bom livro, é aquele que há dedicação do início, ao fim, não perdendo o fio da meada.

Por isso, sempre que tiver um tempo, dê uma lida no seu livro. Veja bem a sua história, o que você vem escrevendo. Se tiver escrevendo uma boa história, continue assim; caso esteja uma história que não te agrade, pense bem antes de continuar escrevendo, dá pra mudar o final da história. O importante é não sair por ai escrevendo por escrever, dizendo qualquer besteira sem sentido, contando histórias que não dizem nada.

...e que todos vivam felizes para sempre!

segunda-feira, 25 de junho de 2012

Enfrentando seus heróis


Todos nós crescemos admirando nossos heróis, que são os nossos idolos, protetores, aqueles que fazem justiça, lutam contra o mal. Confiamos nos nossos heróis, e nos seus super poderes, e sabemos que eles nos protegerão do perigo, da maldade, dos vilões. Além da admiração, queremos ser como eles, são nossos exemplos de vida!

O que nunca imaginamos na vida, é que um dia, nossos heróis podem acabar pegando uma estrada errada, e essa estrada não leva a um destino justo. Sem querer, eles acabam voltando-se para o do mal, deslumbrados com as tentações que os vilões podem propor. Chega um dia em que, infelizmente, precisamos enfrentar e lutar contra os nossos heróis!

É a batalha que nenhum de nós quer ter, que sequer imaginou que isso pudesse acontecer. Mas como todos os guerreiros, precisamos lutar ao lado da justiça e do bem. Lutar pelo que é melhor para todos. Se nossos heróis se perdem e se confundem em sua missão, precisamos enfrentá-los. Quando isso acontece, ninguém sai ganhando meus caros, não há como sair ileso de uma batalha contra os seus heróis.

A dor é grande, de abalar as estruturas de qualquer sujeito. Abala suas crenças, abala suas lembranças, mexe um pouco inclusive com a sua personalidade. Afinal, se você tinha um herói, e acreditava tanto nele e na verdade dele, e depois de um tempo descobre um lado negro do seu herói, quem era ele? Quem é você, sem acreditar nos seus heróis?

Acaba sendo uma redescoberta do outro e de si próprio. Entretanto, não significa que seus heróis sempre foram ou são ruins; significa que eles são humanos e sujeitos a erros, assim como nós. O que foi feito de bom, nunca mais será esquecido, não se pode julgar alguém, sem levar em conta todos os acertos ao longo do tempo. Porém, é preciso batalhar, para quem sabe, tirar o herói hipnotizado, do caminho do mal.

Se um dia for preciso, enfrente seus heróis, com a dignidade e o respeito que eles merecem!   


quinta-feira, 21 de junho de 2012

Reconhecimento


Definição: Deixar aquele que realizou algo, ciente das repercussões, geralmente positivas, de seu ato. Agradecimento, gratidão, constatação.

Todos nós gostamos de colher os bons frutos que plantamos, de sermos elogiados por merecimento, pelos bons atos que realizamos ao longo da vida. Entretanto, a falta de reconhecimento geralmente tem graves consequências, entre elas a revolta, a indignação. Volta e meia, ouço pessoas reclamando que as pessoas não reconhecem seus valores, seus talentos, seus atos de carinho, suas amizades.

Quando certos "reconhecimentos" não chegam, ficamos chateados. Porém, me arrisco a dizer que, na maioria das vezes, esse reconhecimento não virá. Alguns de nós, tentam buscar esse reconhecimento na força, ou elogiam a si próprios, para quem sabe assim, atingir a meta. Mas eu me pergunto: é realmente necessário sermos reconhecidos por tudo que fazemos?

Vejam bem, não estou dizendo que não é bom esse feedback. Só que acredito que o reconhecimento precisa ser espontâneo, natural, e não algo imposto, forçado. Não precisamos nos meter em todas as fotos para sermos lembrados; não precisamos bajular quem quer que seja, para que gostem de nós; muito menos puxar o tapete de outras pessoas, quase colocando uma melancia na cabeça para que reparem em nós.

Não meus queridos, não precisamos chamar à atenção de forma forçada, pois o brilho não se cria, o brilho é natural. Quantas vezes pessoas tentam aparecer tanto, que ao invés de serem notadas por coisas boas, ficam taxadas de exibidas, abusadas? Quem é que nunca viu aquele que mais se esconde, chamando muito mais atenção que os demais?

Falando por mim, não tenho nenhuma pretensão de ser reconhecido por todos, e com total sinceridade, eu não estou preocupado em ser lembrado. Se deixei saudade, que sintam minha falta; se não deixei boas pegadas, que me esqueçam. Estamos aqui de passagem, e todos os ciclos que temos na vida, passam.

Procurei deixar boas marcas por onde passei. Se o que fiz, foi bom o suficiente? Perguntem aqueles que me conheceram ou ouviram falar de mim. Eles saberão dizer quem eu sou, talvez até melhor do que uma auto-definição que eu possa dar. É assim que eu vivo, e assim que pretendo viver em cada caminho por onde eu venha a passar...vou de mansinho, deixando minhas pegadas por aí!


terça-feira, 19 de junho de 2012

Sobreviventes


Essa noite, resolvi olhar as estrelas no céu, e não sei por qual motivo, isso me fez voltar no tempo e relembrar de quando eu era menino ainda. Lembrei daqueles momentos passados, dos amigos de infância, entre eles o meu companheiro fiel de todas as horas, meu irmão. Eu e meu irmão vivíamos juntos por aí, por onde fosse, estávamos sempre juntos, e tínhamos o costume de ter a companhia de muitos amigos. Dois amigos eram marcantes para nós, eram considerados quase da família.

Sempre conversávamos, em grupo, planejando a vida, o que esperávamos que acontecesse. Que destino poderíamos ter? Éramos só garotos, inocentes, brincalhões, cheios de vida. Passamos tanta coisa juntos, nos metemos em enrascadas, nos divertimos, sorrimos, choramos, curtimos. Até quando tudo dava errado, virava piada, história pra contar para os amigos, futuros filhos e netos. 

Praticamente nenhum de nós tomou o caminho que planejou um dia. Eu e meu irmão, apesar de tudo, ficamos bem; mas esses dois amigos citados, não tiveram a mesma sorte. Um deles, sofreu um acidente de moto e faleceu aos 27 anos; o outro, anda perdido por aí, pois se perdeu nas drogas. Isso me fez e sempre me faz pensar que somos todos SOBREVIVENTES.

Pense bem, todos vocês leitores, também são sobreviventes. Sobrevivemos a cada dia, a cada batalha, a cada vitória, a cada derrota, nas alegrias e nas tristezas. Muitos não resistiram ao caminho trilhado, muitos não tiveram a mesma sorte que nós tivemos, muitos não se encontraram, muitos se perderam. E eu, que escrevo essas palavras, e vocês, que as lêem, sobrevivemos! Acredito que nenhum de nós imaginou o destino exatamente da forma como acontece conosco, e que bom que é assim. Fomos nos moldando ao que acontecia, nos adaptando as adversidades e mudanças, fomos nos criando e nos atualizando, aprimorando nossas qualidades, remediando os nossos defeitos.

Com méritos, com sorte, com garra, com suor, com sofrimentos e angústias, lutando dia após dia, aprendendo com os nossos erros e com os erros dos outros, com a ajuda de muita gente...se chegamos até aqui, somos todos: SOBREVIVENTES!


OBS: Post dedicado ao querido amigo e irmão, Renatinho (In memoriam). Que Deus te abençoe sempre e até qualquer dia desses!

terça-feira, 12 de junho de 2012

Feliz Dia dos Namorados


Meus caros leitores, hoje abro uma exceção, e não farei um texto de reflexão. Peço licença para uma declaração para uma pessoa muito especial em minha vida, a quem chamarei de minha eterna namorada. Estamos juntos, vivendo uma história que começou há 8 anos atrás, pela internet, e se intensificou aqui, nesse mesmo blog (na primeira versão dele). O maior presente que o blog "Nunca é tarde para mudar" me ajudou a conquistar, e o maior presente que Deus poderia me dar.  Esse post é totalmente dedicado a você, amor da minha vida, Luana Fernandez!

Eu não sabia o que era amar, pois eu nunca havia amado ninguém. Anos depois, não sei se palavras descrevem o amor que sinto. Descobri o que era amar, te amando. Começou meio que sem querer; o meu primeiro e o meu último pensamento do dia, eram você. Quando amamos alguém, e essa pessoa se aproxima, parece que algo mágico acontece, tudo começa a passar em câmera lenta, e não enxergamos mais ninguém, apenas ela, ali, mesmo que no meio de uma multidão. E não sabemos se sorrimos, se choramos, dá vontade de abraçar bem forte, um abraço tão apertado a ponto de não querer soltar. Parece que o mundo pode acabar, pois ao lado de quem a gente ama, nada mais importa, nada mais abala.

Mesmo naqueles piores dias que temos, basta ouvir  sua voz, e pronto. Tudo fica lindo, tudo se resolve. As vezes estou nervoso, estressado, e só com um olhar,  você me acalma, me tranquiliza. Geralmente você nem fala nada, apenas abre seus braços e seus olhos dizem tudo. Só quem amou alguém um dia, sabe como os casais que se amam, se entendem pelo olhar, e falam muito mais do que frases prontas, falam de coração para coração, meio que por telepatia. Quantas vezes dizemos tudo, calados, e paramos minutos e minutos, nos olhando, olhos nos olhos, enxergando o mais profundo do ser, a alma. É como se não tivessemos nada para esconder, nada para enganar, sem máscaras, sem fingimentos, é tudo real. Cumplicidade, amizade, verdade, parceria total.

Sem você, a minha vida não faria o menor sentido. Sem você, nada mais teria graça. Sem você, morre o melhor que existe em mim. Sou o que eu sou, porque te amo, porque eu sou louco por você; sou o que sou, para tentar ser melhor para você; sou o que sou, para tentar ser melhor POR VOCÊ. É esse o poder que você tem sobre mim, é capaz de aproveitar todo o meu potencial, me faz lembrar que eu tenho um objetivo, um caminho a seguir, um caminho ao seu lado, um caminho a dois e a sei lá quantos, quando tivermos nossos filhos. Seus olhos demonstram a confiança que você tem em mim, pois você sempre espera o meu melhor, e isso me motiva a tentar isso, por você. Já passamos por tanta alegria juntos, já sofremos tanto juntos, já sorrimos e choramos, e nunca, sequer, nos separamos, nem ao menos um dia. As crises que tivemos na vida, só me provaram que é você que eu quero, que é você que eu sempre quis e sempre irei querer.

Para não me alongar demais, repito o que desde o primeiro dia, comecei a falar, e pretendo nunca parar, só queria dizer o quanto é bom TE AMAR. Eu te amo com toda a verdade que existe em mim, eu te admiro, te respeito. Te agradeço por tudo que vivemos juntos, e te garanto que é apenas o início. Obrigado por você existir, obrigado por você escolher dividir a sua vida comigo, obrigado por TUDO. E que essas palavras soltas possam te lembrar tudo aquilo que você sabe que eu sinto por você, que apenas eu e você sabemos o quanto é forte!

FELIZ DIA DOS NAMORADOS, minha eterna namorada, minha loira, como sempre te chamei, minha AMADA LUAH!!Qualquer homenagem que eu te faça, será pouco, perto do que você merece. Você sabe que é a minha vida, e que eu vou estar sempre aqui, ao seu lado. Isso nunca vai mudar!

OBS: Aos meus queridos leitores, desejo que todos possam amar intensamente, ao seu modo, ao seu jeito.